.



"Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é so um dia mais."
José Saramago

terça-feira, julho 17, 2007

Isso hoje são barracas



As casas eram brancas com a bela da barra amarela (ou azul ou avermelhada).
Tinham uma chaminé e janelas quadradas.
Chaminé branca ou preta, cortinas nas janelas, azuis ou rosadas.
As casas da minha aldeia eram assim!
As casas dos meus desenhos assim o eram.
Algumas tinham as antenas e muito poucas a parabólica.

Hoje não!

Hoje isso são barracas.

Hoje não se fazem casas, fazem-se prédios com TV Cabo.
Não se vêem portas de madeira nem chaminés brancas e pretas.

Isso hoje são barracas.

A madeira é para queimar (e só nas casas mais rústicas).
Existem os ares-condicionados muito bem equipados e práticos de ligar.
Nos meus desenhos havia sempre o jardim com baloiços e relva.
E meninos a brincar.

Hoje isso são barracas.

Hoje existem as estradas negras e os carros estacionados.
E os meninos?
Mas eu gostava das casas da minha aldeia e gostava dos meus desenhos das casas da minha aldeia.
As nuvens eram azuis e o sol era enorme, com enormes raios e um sorriso obrigatório.
Gostava mais dos meus desenhos e dos desenhos dos meus amigos do que dos desenhos dos meninos de hoje.
Hoje os desenhos dos meninos têm nuvens azuis ou cinzentas, um sol pequenino.
E o sorriso do Sol?
E o teu? E o meu? E o nosso?

Oh! Isso hoje são barracas.



(a fingir que sou criança revoltada...)

6 comentários:

Visão Caleidoscópica disse...

Olá!
Muito obrigada pela visita surpresa. Adorei.
Venho assim retribuir o miminho e aproveito para bisbilhotar também um pouquinho desta tua bonita casa.
Gostei.
Voltarei.
Volta também, que gosto de receber amigos.
Até mais....

Dias... disse...

Que belo post Mari, daqueles que desperta a lagrimazinha incomoda da nostalgia...

Beijo grande

daniel sant'iago disse...

Só a fingir, mari?
Beijo.

Visão Caleidoscópica disse...

Voltei!
Em busca de novidades mas....
Aproveitei para te bsibilhotar mais um bocadinho e reler este teu post.
Quando o li pela primeira vez, lembro que pensei assim:
Hoje as crianças já não sabem brincar, já não sabem desenhar, já não têm imaginação.....
Paga-se caro o preço das novas tecnologias e da fast-life!
Hoje que reli, pensei:
Antigamente as gentes corriam em massa para as cidades em busca de uma vida melhor; hoje a dedandada geral para fora das cidades é notória. Procura-se desesperadamente pela chamada
"qualidade de vida" ....
E depois surgem os choques emocionais entre o "8 e o 80".
Antes, para as crianças da aldeia, um computador, o metropolitano, o mar eram vislumbres.
Hoje, para as crianças das grandes cidades, franzem o nariz só em pensar em andar descalço pelo chão, correr por montes e vales, mexer na lama, trepar às árvores...
Nem tanto ao mar, nem tanto à terra.
Há que encontrar um ponto de equilíbrio.
Um grande beijinho para ti.
Até mais....

Mundo Mágico disse...

Olá!!
Beijo mágico para ti

Oficina dos Risos disse...

Apoiado minha mari!
Assim sendo, somos duas crian�as revoltadas!
Um viva � nossa inf�ncia, um viva �s crian�as...

Beijos e Risos... ;)