.



"Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é so um dia mais."
José Saramago

domingo, dezembro 02, 2007

Olhares a preto e branco


São olhares que nos transcendem
Gestos que nos param
São mãos que se estendem
Palavras que nos esmagam...
...e se separam.

São verbos insanos
Com cheiro a pecado
Sensações de ansiedade
Turbilhões de pensamentos.
Mas cuidado!
Os olhares estão atentos
O mundo está vigiado...
...e viciado!

São corpos que se esbatem
Entre o calor e a neblina,
Que se aproximam
Fazem eco, não sei porquê.
Cuja dor cresce em surdina
Mas não se sabe,
Ninguém a vê!

Valerá a pena explicar?
Explique-me a mim quem me lê...

5 comentários:

Ricardo filipe disse...

olhos que estao bem vivos,

penetram em pensamento qualquer,

a pele fica em tons de azul,

textura de fina lixa,

td por um sopro vindo de um olhar,

sopro gelado,

profundo e colado numa ideia de me possuir,

constroi e destroi,

o meu ser,

olhar,

e o teu....

Dias disse...

Gosto imenso do teu Poema!
A construção está genial, a repetição (eco) no 2º bloco ficou excelente, e a a dor que cresce em surdina invisivel é uma entre outras pinceladas de divino no teu escrever.

Mas explicar-te não posso porque eu sinto sem entender.

(ao ler-te passei por uma relação SM e terminei nas ruas de uma cidade...)

Beijo muito agradado

somentebia disse...

Atualizei a leitura... menina, como escreves bem!!! É fascinante ler-te, adentrar esse mundo onde tua alma se expõe e teu coração grita segredos e mistérios. Tens o dom da palavra, amiga, e sabes tão bem usá-la.

O poema de agora... não há o que explicar... apenas SENTIR!

Tudo muito lindo, meu anjo, muito prazeroso de ler.

Ficam pétalas perfumadas de carinho e um beijo no teu coração. Que tua semana seja ensolarada de sorrisos de mimosos anjos.

João disse...

Olá!
De facto existem coisas(situações)que não conseguimos explicar mas, será que tudo precisa de explicação!?Se calhar não..
Gostei bastante do teu poema, são coisas tuas, sentidas (algumas duvidas existenciais) as palavras também servem para unir.
Cumps

tufa tau disse...

olhar a preto e branco
para que se veja a sombra
tentar explicar o inexplicável
é saber ver na penumbra


não vale a pena...