.



"Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é so um dia mais."
José Saramago

segunda-feira, março 24, 2008











As lágrimas confundem-se,
No brilho do olhar, com o cansaço.
Sorriso mal dado
Num desvario de emoções.
Coração latejante.
Bate depressa em compasso…
Olho semicerrado,
Brilhante,
Não baço.

Vulcão em chama
Que medita e sente,
Que finge e mente,
Que ama à desgarrada.

Corpo delicado
Vestido de mulher
Que é espada
Fogo
Cetim.
E tudo quanto quer.

Que arde, fere e aconchega.
Aqui e agora.
Que rejubila perante o mundo.
Porque o outrora
É só barulho de fundo.

8 comentários:

Dominique Ventura disse...

coração latejante... fiquei assim. há algum tempo que acompanho a tua poesia, os teus sentimentos feitos palavras.
amar à desgarrada é a expressão mais bonita que ouvi nos últimos tempos.
parabéns pelo barulho de fundo que crias...

Dias disse...

Mas... desconhecia-te a faceta de poetiza Mary...

Está optimo, Poema, ritmo e conteudo, fiquei apaixonado pelo conceito: "Porque o outrora
É só barulho de fundo


Muitissimo bom miuda, parabéns!!

Beijo surpreendido pela positiva.

*

mari crrrrruuuu... disse...

Dominique ventura>>
Fico grata pelo mimo feito elogio e muito feliz por me saber acompanhada neste castelo de palavras. Só por curiosidade, este é o único poema até hoje a que não consigo dar um título.

Dias>>
Isto da faceta poética tem muito que se lhe diga (risos).
Na realidade tenho um certo receio de postar poemas. Isto da blogosfera é muito bonito mas corre-se o risco de "assalto", se é que me faço entender, e isso assusta-me de certa forma. Não gostava muito de num amanha passar numa livraria e ler um poema escrito por mim e assinado por um estranho. Porque existem pessoas boas e más e porque penso sempre demais.
Para ti um enorme beijo!

Antes Prefiro disse...

hum...
vermelho...
palavras quentes...
uma envolvência que abraça...
paixão? o bichinho da Primavera já te apanhou? :p

Enfim... disse...

muito bonito

beijinhos

Bia disse...

Um poema instigante... que fala de sentimentos que se escondem, se mostram, se mesclam e provocam emoções que se querem muitas vezes resguardadas... Quem o lê com a visão de uma alma que também já viu desfilar em si tantos e tão desencontrados sentimentos, que já viu pousar no seu solo tantas e tão profundas emoções, sabe aquilatar a profundidade com que ele foi escrito.

Imagens belas encimando um poema de rara beleza!

Mari, minha querida, deixo-te sorrisos, pétalas e beijos para enfeitar tua semana.

Joanne disse...

Que bonito. Adorei a escolha de palavras e principalmente o modo como termina...é só barulho de fundo. =D

Dias disse...

O Plagio não me preocupa, se o fazem é porque julgam o material digno de tal :) mas se algum dia o sentir na pele devo mudar de opinião durante meio segundo e oferecer uns quantos termos plagiados do mais puro calão ao autor :))

Beijo irrelevando-se para o tempo, conta a presença e por ela te agradeço.