.



"Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é so um dia mais."
José Saramago

sexta-feira, abril 23, 2010

O meu silêncio

Hoje jantei com a televisão apagada.
Chega de más notícias – que são já raras as boas que se vêem nos telejornais!
A minha única companhia foi o silêncio…

Oh como gosto de silêncio! Só eu sei…
Ouvir coisa nenhuma, tantas coisas em simultâneo.
Fechar os olhos e sentir o mundo.

Sentei-me no chão, de prato ao colo. E jantei sem talheres.
Só não jantei no quintal porque não o tenho…

Como eu gostava de ter uma cabana no meio do nada.
Sem mais nada, só a cabana…
E o silêncio.

Às vezes acho que já vivi no tempo da pedra…
E que fui muito feliz por lá!

11 comentários:

Cherry Lips disse...

as vezes a simplicidade faz a perfeição... =)

quanto pesa o vento? disse...

hoje fiz-te companhia no meu silêncio.
não liguei a TV e sentei-me confortávelmente nas palavras do meu livro.
sabe tão bem.
abraço.

Miosótis disse...

Olá linda!
Ih...ih... fartei-me de rir com o teu último comentário lá pelo meu canto.
Foi 3 em 1 e depois ...Pimba!
Caramba, aquilo foi mesmo um desabafo!
Pois é, pelos vistos continuas com algumas dificuldades técnicas no que concerne a minha modesta casita...mas eu juro que não compreendo o porquê!
Bom, tecnicismos à parte, dizes que o meu poste te fez lembrar a "Lua de Joana". É curioso porque quando o mencionaste no comentário, eu recordei-me imediatamente do livro, visualisei a capa até, mas não consigo recordar-me se o li ou não...
Sinceramente penso que ele deambulou aqui por casa, em tempos, mas creio que nunca o li. Talvez fosse das minhas filhas!
Credo, a minha cabeça já não é o que era! Definitivamente!
Contudo, se as minhas palavras se assemelham, será talvez coincidência ou, na melhor das hipóteses, um reencontrar de memórias perdidas.
Escrevi o que me ía na alma, no final de um dia cheio de emoções muito fortes, na Turquia, mais propriamente em Konya, longe de tudo e de todos, dos meus pertences...
Apenas eu e o meu computador, no chão do 15º andar de um quarto de hotel, defronte de uma enorme janela do chão ao tecto e uma paisagem que arrebataria a alma mais insensível...
Disse adeus a um Sol mediterrânico que se recolhia de um lado e estendi a mão a uma Lua que surgia do outro...
E ali fiquei de braços abertos!
Há momentos inolvidáveis!
Um beijo enorme para ti

Miosótis disse...

Xiii... erro crasso!
Imperdoável!
Comentei o teu comentário e esqueci comentar o que de bonito tu me transmites...
Que tonta eu sou!
O silêncio, ahh o silêncio!
Que bom que é escutá-lo, senti-lo, deixá-lo entranhar-se na pele...
E depois ele revolve-nos as entranhas a ponto de transpirarmos emoções.
Ego e alter-ego na sua plenitude.
Tão bom!
Partilho contigo os meus silêncios que tanto dizem...
Beijos

Melodia disse...

que bem soubr ler este post querida.. senti esse silencio em mim... qualquer dia faço mesmo... tmb gosto de silencio e que bem que ele faz.

beijoquinhas
adoro-te mt

Miosótis disse...

Hello!
It's me again....
Pois, que isto agora é um corropio... eu cá, tu lá!
Fica para as ausências que, de quando em vez nos vemos forçadas a manter...
Vim só dizer-te que te pode "dar para isto" todos os dias que eu cá não me importo nada.
Sabe tão bem!
E também eu gosto muito de ti!
Parafraseando alguém que me é muito krido (o meu cara-metade :D)
deixo-te Ziliõõõõõõõeeeessssss de bjinhos
Até mais...

prafrente disse...

A maneira como gerimos os nossos sentimentos e emoções é única e irrepetível.Não faço esses silêncios frente á televisão mas escuto o marulhar da água corrente, na ribeira do Sirol, em pleno vale do Lapedo, ou percorro quilómetros, pelos campos do Lis, procurando cada recanto esquecido do rio e embrenho-me no seu silêncio contagiante.
Estar numa cabana no meio do nada só se for com quem possa partilhar as emoções do momento...e depois quero regressar á civilização.
Mas entendo bem o teu grito de insatisfação perante uma sociedade que preenche os seus vazios com futilidades prenhes de nada...

Ah, também não tenho quintal...mas tenho a floresta, os ribeiros, o mar...

Como vão os teus estudos?

Beijinho destes campos do Lis.

Miosótis disse...

Beemmm.... isto é só mimos!
Que seja!
Vivam os mimos...e os silêncios!
Até mais...
Bjs

Cherry Lips disse...

Obrigada! Aquele teu post consegue dizer tudo o que eu não conseguia... =)

Beijinho

Anónimo disse...

O silencio é isso e muito mais... E é tão bom!!!

Imagina quando é possivel comunicar no silencio! Apesar de ser possivel comunicar atraves de olhares, posturas, movimentos... Estou mesmo a referir-me à Língua Gestual!!! É linda!

Beijo no coração para ti

Cláudia V.

mari (a)penas... disse...

Amor da minha vida, que bom ter-te por cá!!

Até tens razão...
Quando me refiro a gostar de silêncio, não me imagino sem este sentido (audição).
Não imagino mesmo... Mas nessa perspectiva até consigo encontrar beleza.
Sentir o mundo de uma outra forma, cominicar sem discussões, sem gritos. Não ouvir o choro das pessoas, enfim, tantas coisas...
E afinal as coisas mais importantes dizem-se com gestos, com acções, com atitudes.
Pena que a lingua gestual não seja ensinada nas escolas comuns... Assim, todos saberiamos comunicar dessa forma tão especial!

Retribuo o beijo e acrescento um xi-coração apertado :)