.



"Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é so um dia mais."
José Saramago

quarta-feira, março 17, 2010

Improviso


Subiu ao palco. 
              
              A mais um palco. 


Não estava nervosa mas tinha receio de se enganar, por não ter treinado bem os passos.


    Tentou e enganou-se.

          
                 Tentou de novo.

                                      Voltou a enganar-se.

                           
                            Fechou os olhos. 


              Respirou fundo. 


Esqueceu a coreografia. 


Sorriu.


          E recomeçou. 


                       Esqueceu a coreografia. 


            Seguiu unicamente o batimento do coração. 


Seria esse o único ritmo que interessava. 


       O palco transformou-se numa nuvem.          
                                                   
                                                               Macia. 


                  Sentia-se exactamente nas nuvens. 


     E naquela sala não havia mais ninguém. 


Apenas ela.  


                    E a sua nuvem. 


                                       E o seu sorriso. 


Não havia café que a fizesse tremer nem pedaço de sol que a encadeasse. 


No final apenas se deparou com uma sala cheia de gente a bater palmas, um barulho ensurdecedor. 


                  Sabe que aquele momento valeu a pena. 


                                            Por ela e para os outros. 


                    Ir contra as regras por vezes vale a pena.

Improvisar vale a pena.


                                                  Ser poeta num palco.


                             Bailarino na vida.  


                Viver.                               Vale a pena.

9 comentários:

Melodia disse...

Se vale minha querida...

vale tao apena viver neste palco da vida...

ja dizia o Shakespear : o Mundo è um Placo...

beijinhos querida

adorote

ps: espero que estejas bem
saudades

Anónimo disse...

ola ola

imaginação, jogo de palavras, inspiração eh voalá..
entra-nos mais um belo sopro saido deste simples, fantástico e único castelo, o teu!

beijo grande
;)

Cherry Lips disse...

Gostei! fez me pensar... Principalmente a parte "Seguiu unicamente o batimento do coração./Seria esse o único ritmo que interessava.". As vezes esqueço me de como isso é tão verdade.
Obrigada pela visita. Também vou voltar aqui ao teu cantinho mais vezes =)

Beijinho

P.S.: adorei a música!!! =D

prafrente disse...

No imenso palco da vida todos desempenhamos diversos papéis...e quando o medo entra em cena não pode haver dois vencedores: ou vence ele, ou vencemos nós!!!

Como vão as aulas?
Bom inicio de Primavera.Aspira o perfume das flores e sorri á vida...mesmo que te possam faltar motivos para isso...

Beijinho

Anónimo disse...

ola ola

nao podia deixar de deixar um beijinho de saudade!

Beijo

Miosótis disse...

Ahh...que coisa linda deixaste tu por aqui!
Estou sem palavras.
Tal como no texto, deixei-me ir apenas pelo bater do coração.
Fechei os olhos e senti...
Senti-te!
Obrigada pela partilha.
Um beijo em ti

Anónimo disse...

ola ola

mais uma visita e mais um beijo que te deixo aqui!

;)

Anónimo disse...

ola ola

SAUDADE!

;)

quanto pesa o vento? disse...

lindo, lindo, lindo...
aplausos!

uma vénia a ti.