.



"Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é so um dia mais."
José Saramago

sexta-feira, janeiro 22, 2010

.




Não sou poeta.
Nem quero ser.
Uso os sentidos,
A minha mente aberta.
Leia quem quiser,
Se gostar.


O que escrevo vem-me do peito,
E nem tem que estar certo.
É este o meu jeito.
Sou assim.
Só minha.


E se mais ninguém me abraçar
Abraço-me sozinha.
Sentir-me-ei perto
De mim.
Exclusiva de mim.


Como tanto gosto.

9 comentários:

Violeta disse...

tao lindo mari...

eu abraçote linda, pode ser? :P

beijoquinhas

prafrente disse...

"E se mais ninguém me abraçar, abraço-me sózinha..."

A nossa felicidade não está nos outros mas em nós mesmos.Se assim não fosse seríamos eternos psicodependentes. As tuas palavras demonstram maturidade emocional e uma elevada auto estima.

E os estudos como vão?

Beijinho destas terras do Lis

prafrente disse...

Olá

Por Leiria foi-se a chuva, sopra o vento e o frio agreste desceu das serras do Marão e veio por aí abaixo sem pedir licença para entrar.
Do ponto de vista académico "chumbei" na frequência de Sociologia das Organizações; vou a exame amanhã.Falta-me saber as classificações de Direito da Familia e Menores e Técnicas de Animação Sócio Cultural (TASC). Se chumbei tenho também de ir a exame.Até agora a média de curso não é famosa mas não é minha intenção ganhar o prémio Nobel.

Força e muita alegria de viver.

Ah, os meus posts não seguem uma temática pré-definida; são feitos ao sabor da inspiração e do tempo disponivel.

Beijinho

Miosótis disse...

Mari, minha linda, que introspecção tão a teu jeito...
Simplesmente adorei!
A singeleza das palavras são, definitivamente, o teu ponto forte.
E eu abraçar-te-ía, com certeza, se tu assim mo permitires.
Ah, como eu gostaria de te abraçar.
Há coincidências do arco da velha!
Vai ao meu blog e comprova o que te digo com os teus próprios olhos... :))
Deixo-te um beijo e o desejo de te ler sempre que possível.
Até mais...

Ri... disse...

Deixo-te carinho... deixo-te beijos... deixo-te abraços...

Já tinha saudades... aos poucos, vou voltando aqui...

Beijos e Risos ;)

Anónimo disse...

ola ola

o tempo passa sem se ver
as saudades teimam em ficar
continuando assim a escrever
mil beijinhos te vou deixar

nao es poeta mas esta perto
tem um dom especial
escreves de coração aberto
como tu nao ha igual

;)
beijo

Flip disse...

não existe certo nem errado, neste caso. vá, a seguinte situação é absurda:

"sinto-me triste/apaixonado/etc"
"ah, isso está errado."


e o poeta é aquilo que descreveste. um paradoxo de si próprio.

Laura disse...

Obrigada pela visita, és bem vinda.
Passarei também por aqui.
Um beijo,


Laura

Cicero Super disse...

Também nao sou poetas, apenas relato o fato arduo de viver.